Os ingleses contra-canônicos

Bueno, já que o rótulo de incendiário e polemista colou nos últimos comentários, nada mais justo do que alimentar a fogueira com gasolina, certo? E, se vocês notarem, não posso usar a expressão chutar o balde, pois conseqüentemente, chutando o balde de água, apaga-se a fogueira. E não queremos isso, certo? (talvez vocês queiram, mas não vou dar esse gostinho)

Respondam logo: pra que Beatles? Pra quê? Vejo vocês já respondendo “pelo rock”. Ah, meus amores… Vocês vão levar tortada na cara. A resposta é “porque necessita-se de um cânone”. Sim, um cânone do rock. Formado na década de 60 por Rolling Stones (os Beatles do mal), Beach Boys e os quatro garotos de Liverpool. Um cânone que dominou a sua época e fez com que todos virassem os olhos diretamente para eles.

É claro que não quero desmerecer os Beatles neste post. De modo algum. Mas vocês sabem muito bem que, quando algo aparece intensamente na mídia, ofusca muitos outros talentos, que não conseguem divulgar seu bom material. Há muitas provas disso (principalmente ali no começo dos anos 90, quando o assunto do momento era Nirvana e Guns n’ Roses). E o maior exemplo disso são vocês, que responderam “pelo rock” quando perguntei “pra quê Beatles?”. Ora, a mídia tanto martelou em cima dos Beatles que acabou fazendo a cabeça de John Lennon a ponto dele falar que sua banda era muito mais conhecida que Jesus Cristo. Culpa dele? De modo algum.

E pergunto pra vocês então: por que não… Nescafé? Não! Yardbirds! Por que não Yardbirds? Um blues com toques sessentistas, no ponto, letras sobre garotas, solos simples, gaitas harmônicas e tudo o mais. E principalmente, senhores: uma banda de talentos. Sua fórmula era bem simples: tocar covers de artistas de blues das décadas de 30, 40 e 50, juntando com o bom rock n’ roll que tomava conta dos jovens da época. Um rock contra-canônico. Ou qual outro grupo musical poderia revelar três guitarristas tão virtuosos quanto esse?

Todo mundo sabe que Yardbirds é a banda que revelou James Patrick Page, que se tornou lenda depois de compor Dazed and Confused, Stairway to Heaven e – pelo menos dizem por aí – ter penetrado um tubarão nas partes mais baixas de uma mulher. E também sabem que foi uma das primeiras bandas no qual Eric Clapton participou. E a maioria sabe – e aqui não se pode citar todo mundo – que essa foi a banda que lançou Jeff Beck para sua carreira solo. Ok, isso pode ser de praxe. Mas você sabe citar uma música do Yardbirds?

E aí vem o problema. Fala-se muito deles, mas poucos sabem detalhes da banda. E a coisa chega a ser tão confusa que muitos pensam que Beck, Page e Clapton tocaram juntos no grupo. Isso nunca aconteceu. Além disso, Page era baixista nos Yardbirds. Só se aventurou na guitarra depois que Beck saiu, trocando de posição com Chris Dreja (primeiro baixista do Led Zeppelin; se você sabia disso, parabéns!).

Sinto hoje que os Yardbirds foram um dos grupos mais injustiçados de sua época, apesar de terem feito algum sucesso. E vejam que ironia: revelou três dos maiores guitarristas ingleses dos últimos tempos. São uma banda contra-canônica: seguiram uma parte do que os Beatles iniciaram, mas também mantiveram a raiz do blues, que iniciou todo o movimento rock na Inglaterra. Depois, o rock imperou e o blues morreu, sendo ressuscitado nos anos 80 por Stevie Ray Vaughan, mas isso é um caso à parte. O que importa aqui é que, por causa do sucesso de alguns, outros saíram no prejuízo, apesar de terem gerado bons frutos.

O que aconteceu com eles depois? Bem, Beck seguiu sua carreira solo, compôs discos sob efeito de entorpecentes (alguns álbuns ele simplesmente não se lembra de ter feito). Jimmy Page chamou Robert Plant e John Bonham da Band of Joy e convidou Chris Dreja para tocar baixo no grupo que ele chamou de New Yardbirds, para reviver um pouco a sua nostalgia. Mas o nome não era apropriado, e Dreja largou o grupo. Então Keith Moon disse que o som de Page era pesado e “voava”. Nascia o Zepelim de chumbo.

E Clapton? Bem, esse merece um post à parte.

E quanto aos outros integrantes? Alguns deles seguiram tocando os sucessos antigos em carreiras solo ou usando o nome Yardbirds. Mas nunca mais revelaram um talentoso guitarrista…

Postado por Fred

Anúncios

5 Responses to Os ingleses contra-canônicos

  1. Ale Lucchese disse:

    e naquela época o page já tocava dazed and confused, td mundo chapado e o page com um arco de violino fazendo uma barulheira do cão na guitarra, às vezes estendendo a música por quase uma hora… dizem q os primeiros shows do led tb eram assim.

    mas coisa mais maluca é q a banda está viva e passa bem. entre os integrantes, o lendário Chris Deja. vale passear por aqui: http://www.theyardbirds.com/home.html

  2. Fred disse:

    Sim, Lucchese. Recentemente eles tocaram num evento organizado pelo próprio Clapton. Page estava junto. A idéia era reunir os 3, mas Jeff Beck recusou o convite.
    Os dois remanescentes do grupo que seguem na ativa sob o nome de Yardbirds é o Chris Dreja (agora baixista) e o baterista Jim McCarty.

    Quanto ao Page, muita coisa que foi composta pelo Yardbirds foi usada mais tarde na carreira solo dos três (Clapton, Beck e Page) ou em outras bandas (Cream, Led, etc). E a maior versão de Dazed and Confused que se tem notícia em shows ao vivo do Led tem 44 minutos e meio de duração. Imagina só uma coisa dessas…

    Abraço.

  3. Ale Lucchese disse:

    pois eh, uma vez vi o page dizendo q esses primeiros shows do led eram como que estrutuados em volta de dazed and confused, como se as outras músicas entrassem nela como variações do mesmo tema.
    Sim, eu fico imaginando, os caras deixavam rolar, naum tinha uma set list definida, o led devia ser como uma máquina completamente integrada e afinada q ia tocando conforme sentia a relação como o público.
    mas também eram outros tempos, bandas como o jeferson airplane iam tocando, diz q se viam q o público estava dentro da viagem continuavam no mesmo tema, improvisando, uma canção podia ser estendida ateh 40 minutos mesmo, uma hora, 5 minutos, sei lah, conforme o momento.

  4. ines disse:

    tomei a liberdade de linka-los! =)
    bejo

  5. Natusch disse:

    Puxa. Eu sou um, e estou fazendo monografia. Vocês são quatro, e ainda assim o meu blog está mais atualizado que o de vocês???? o.O

    Sinal preocupante. Não sei ainda se para vocês ou para mim, mas enfim… Novos posts, logo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: