Epidemia?

06/11/2007

cataporaok.jpgTalvez eu me afaste um pouco do tema usual do COWABANGA (provavelmente!), mas hoje não falarei a respeito de nenhuma “obra” da cultura pop. Não vou tratar de nenhum filme, desenho, seriado ou banda de música específica. Em homenagem ao meu querido amigo e companheiro de blog Fred, vou falar da famosa Varicela-Zoster – vulgo Catapora.

Ok, eu sei que você deve estar pensando “Ela não escreve aqui há tanto tempo que nem sabe mais do que o blog fala…”, ou “Neurocisticercose certo! Falei pra ela não comer carne de porco no RU…”. Mas calma! O assunto não é tão (tão!) desconexo assim.

Apesar de não ser um produto da mídia, a catapora foi muito popular durante bastante tempo. Pois é, todo mundo pegava a tal da doença. A vacina não está incluída na bateria geralmente aplicada nos bebês (coqueluche, tétano, difteria, rubéola, sarampo, tuberculose e poliomielite) e, na verdade, nem é muito conhecida – mas o Dráuzio Varella diz que ela existe! Apesar de não dizer qual é. Em suma, a melhor imunização acaba sendo justamente ter a doença, porque uma vez ela passe por você, não volta mais.

Bom, por esse motivo, talvez a catapora tenha se tornado a representação clássica das crianças doentes no mundo do cinema e dos desenhos. Mais popular entre os infantes (sinto muito Fred, mas você está atrasado), o vírus da varicela é transmitido pelo ar e encontra um ambiente mais “amigável” nos corpos com baixa imunidade. Natural. A sua principal característica são as pintinhas vermelhas, que se espalham rapidamente pelo corpo todo e – dizem, eu nunca tive! – dão uma coceira insuportável.

Obviamente, isso é bem mais fácil de ser retratado do que uma febre ou sensação de moleza, que são bem mais comuns em uma criança doente. E também é muito mais engraçado. Uma pessoa cheia de marquinhas vermelhas tende muito mais ao cômico que alguém em uma cama com cara de peixe morto. Ou vai dizer que ver Denis – o Pimentinha ou qualquer outro expoente de guri pentelho pedindo chazinho pra mãe teria alguma graça?!

Postado por Débora